Adicione seu blog

Se você é um contribuidor do KDE que fale português, Pode ter seu blog listado aqui em nosso planet. O Conteudo do blog deverá ser sobre KDE em Português e não deve conter ofensas. Se você tem um blog de vários assuntos, você deve criar uma tag KDE e adicioanar apenas o feed para a mesma no planet.

Para ter seu blog adicionado aqui, envie um e-mail para tcanabrava @ kde.org com os dados necessários e ele prontamente atenderá seu pedido.

Caso você possua conta no svn, pode adicionar o próprio feed:

  • svn checkout svn+ssh://svn@svn.kde.org/home/kde/trunk/www/sites/planet/planetkde-br
  • Coloque seu hackergotchi em website/hackergotchi/. O hackergotchi deve ser uma foto de seu rosto de 80x80 pixels com um background transparente. Lembre-se de svn add o arquivo.
  • no fim do arquivo planetkde-br/config adicione seus detalhes. (o nome entre parenteses é seu apelido de IRC):
  • feed 15m http://path.to/my/feed.rss define_name Konqi Konqueror (konqi) define_face hackergotchi/konqi.png define_facewidth 80 define_faceheight 80
  • svn commit

If you want to add a Twitter microblog to the Microblogging sidebar add define_microblog true and follow your name with [twitter]. Currently only Twitter is known to work, please contact Jonathan Riddell before adding non-Twitter microblogs to check it works.

Planet KDE Português Guidelines

Planet KDE Português is one of the public faces of the KDE project and is read by millions of users and potential contributors. The content aggregated at Planet KDE Português is the opinions of its authors, but the sum of that content gives an impression of the project. Please keep in mind the following guidelines for your blog content and read the KDE Code of Conduct. The KDE project reserves the right to remove an inappropriate blog from the Planet. If that happens multiple times, the Community Working Group can be asked to consider what needs to happen to get your blog aggregated again.

If you are unsure or have queries about what is appropriate contact the KDE Community Working Group.

Blogs should be KDE themed

The majority of content in your blog should be about KDE and your work on KDE. Blog posts about personal subjects are also encouraged since Planet KDE Português is a chance to learn more about the developers behind KDE PIM. However blog feeds should not be entirely personal, if in doubt set up a tag for Planet KDE Português and subscribe the feed from that tag so you can control what gets posted.

Posts should be constructive

Posts can be positive and promote KDE, they can be constructive and lay out issues which need to be addressed, but blog feeds should not contain useless, destructive and negative material. Constructive criticism is welcome and the occasional rant is understandable, but a feed where every post is critical and negative is unsuitable. This helps to keep KDE overall a happy project.

You must be a KDE contributor

Only have your blog on Planet KDE Português if you actively contribute to KDE, for example through code, user support, documentation etc.

It must be a personal blog

Planet KDE Português is a collection of blogs from KDE contributors. It is not indended for project news feeds.

Do not inflame

KDE covers a wide variety of people and cultures. Profanities, prejudice, lewd comments and content likely to offend are to be avoided. Do not make personal attacks or attacks against other projects on your blog.

For further guidance on good practice see the KDE Code of Conduct.

People Aggregated

FeedRSSLast fetchedNext fetched after
Arthur Ribeiro (arthurribeiro) XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August
KBlogue XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August
Fernando Boaglio (boaglio) XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August
Rafael Gomes (gomex) XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August
Frederico G. Guimarães (aracnus) XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August
KDE Brasil XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August
Live Blue XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August
Lucas Lira Gomes (MaskMaster) XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August
Francisco Fernandes (chicao) XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August
Aracele Torres (araceletorres) XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August
Filipe Saraiva (filipesaraiva) XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August
Camila Ayres (camilasan) XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August
Wagner Reck (wiglot) XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August
Fernando Teles (fernandoteles) XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August
Sandro Andrade (sandroandrade) XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August
Tomaz Canabrava (Tumaix) XML 01:07, Tuesday, 30 August 01:37, Tuesday, 30 August

Microblogging from KDE

August 29, 2016

Fernando Teles (fernandoteles)

Ainda Sobre o LaKademy 2016

Parece um pouco tarde para escrever este relato, eu sei. Mas, eu não poderia deixar de expor o que foi o LaKademy para mim.

No ano passado, aconteceu o 3o LaKademy – Encontro dos usuarios e colaboradores latino-americanos do KDE. Eu estava lá! Foi a primeira vez que tive contato com a comunidade brasileira (infelizmente,nossos amigos argentinos e peruanos não estavam lá). Mas ainda assim foi muito bom. Naqueles dias em que tive contato com a comunidade, muitos mitos sobre o que era contribuir para Software Livre e código fonte aberto (FOSS) caíram por terra. Ali eu conseguia ver pessoas que se uniam por diversas motivações que, por fim, se convergiam em um único objetivo. Foi naquele evento que eu, de maneira tímida, comecei a dar meus primeiros passos e perceber que eu também queria participar da comunidade. A partir de então, comecei a contribuir e participei do Season of KDE (SoK), o que me permitiu participar ativamente nos projetos do KDE como desenvolvedor.

Na semana passada, o 4o LaKademy aconteceu na cidade do Rio de Janeiro. Nossos trabalhos foram realizados na Universidade Federal do Estado do Rio – UNIRIO, aos pés do Morro da Urca e sob a supervisão do Cristo Redentor. Foram 4 dias de trabalho duro, mas gratificantes.

Durante esses dias, trabalhei no Cantor, o software de aplicações matemáticas. Juntei-me a Filipe para trabalharmos no Cantor. Filipe é o mantenedor do Cantor e foi meu mentor durante o SoK.

O trabalho foi bastante produtivo. Fizemos triagem de bugs, corrigi um trecho de código para que um backend voltasse a funcionar. Abri um chamado para um bug no backend do Python3. Além disso, abrimos tasks no Phabricator para o Cantor. Por fim, tentamos colocar o backend do R para funcionar, entretanto esse trabalho continua além do LaKademy.

Filipe e eu conversando sobre o CantorFilipe e eu conversando sobre o Cantor

Outro ponto importante foi a tomada de decisões sobre a manutenção dos backends do Cantor. Por dar suporte a 10 linguagens distintas, o Cantor é um software de difícil manutenibilidade. A atualização das linguagens de backend é uma das constantes causas de bugs. Além disso, alguns backends foram feitos utilizando técnicas diferentes de comunicação com as linguagens. A partir disso, estamos decidindo optar pelos testes das versões de linguagem para garantir o funcionamento dos backends. Outro ponto é adotar uma arquitetura padrão para os backends bem como o uso de uma técnica comum de comunicação com as linguagens. Mas isso é papo para outro post.

LaKademy_PessoasCidade Maravilhosa, Pessoas Maravilhosas.

Por fim, o que tenho a dizer é que o Rio de Janeiro continua lindo, continua sendo. Mas, o título de maravilhosa, este foi passado da cidade do Rio de Janeiro para a comunidade Latino-Americana do KDE e, principalmente, para as pessoas que fizeram este evento acontecer.


13:36, Monday, 29 August UTC

July 18, 2016

Aracele Torres (araceletorres)

KDE soprando velinhas no FISL 17!

dav

Stand decorado.

Durante a última semana aconteceu mais uma edição do FISL, o Fórum Internacional de Software Livre, que é realizado desde 2000, na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. A nossa participação, como já havia anunciado aqui, foi muito especial, já que comemoramos 20 anos da comunidade KDE neste ano. O aniversário mesmo é só em outubro, mas como não podíamos deixar passar a oportunidade de celebrar essa data num evento tão importante como o FISL, preparamos uma programação especial.

No primeiro dia aconteceu o nosso mini-evento, o Engrenagem, no qual membros da nossa comunidade apresentaram várias palestras sobre vários assuntos relacionados a KDE. O Engrenagem foi aberto pela palestra internacional de David Edmundson, um dos dos desenvolvedores do Plasma.

DSC03626

Palestrando.

Após a palestra do Edmundson, foi a minha palestra “20 anos de KDE: de Desktop a Guarda-Chuva de Projetos“, onde apresentei o processo de evolução da nossa comunidade, que a levou de uma comunidade de um projeto só para uma comunidade incubadora de vários projetos. Para quem não foi ao evento ou para quem foi e não pôde assistir, a palestra foi gravada e está disponível aqui. Abaixo também disponibilizo os slides da minha apresentação:

Além das nossas palestras, também preparamos umas surpresinhas para os fãs da comunidade que apareceram por lá. No penúltimo dia do evento tivemos um momento especial no qual decoramos nosso stand com balões e outras coisinhas, com direito a bolo de aniversário e velinhas sopradas!❤

DSC03939

Bolo de niver.

DSC03936

Quem não viu as nossas palestras, pode assistir a elas buscando aqui na grade do evento, todas foram gravadas.

Quem quiser conferir as nossas fotos no FISL, basta acessar nosso flickr🙂

Além da palestra sobre a história da comunidade KDE, eu apresentei também outra sobre a história do software livre. Essa apresentação foi baseada na minha pesquisa de mestrado, intitulada “A tecnoutopia do software livre: uma história do projeto técnico e político do GNU“, que pode ser baixada aqui😉 Assim como a outra palestra, essa também foi gravada e está disponível para ser assistida através desse link.

Bom, isso foi um pequeno relato do que aconteceu no FISL 17. Para mais relatos sobre as atividades da nossa comunidade no evento, fique ligado no nosso site, no Planet KDE Português ou no nosso twitter🙂

P.S: Se você ainda não contribuiu com a nossa campanha de fundraising Randa Meetings 2016 – KDE technology on every device, corra que só falta 3 dias!🙂 Ajude-nos a continuar fazendo software livre como temos feito nos últimos 20 anos❤


09:00, Monday, 18 July UTC

July 12, 2016

KDE Brasil

KDE celebrará 20 anos no FISL 17

Em outubro a comunidade KDE completará 20 anos e nós da comunidade aqui no Brasil já começamos a celebrar essa data histórica. Participaremos mais uma vez do Fórum Internacional de Software Livre (FISL), que acontece todo ano em Porto Alegre - RS. Durante todo o dia de amanhã  acontecerá o Engrenagem, nosso mini-evento dentro do FISL, que conta só com palestras relacionadas a KDE e Qt. Confira abaixo a nossa programação:

 

 

Além do Engrenagem, nós também estaremos com um stand disponível na área de exposição do evento, no qual venderemos alguns brindes e sempre ficamos à disposição da comunidade pra bater um papo e/ou ajudar em alguma coisa. Esse ano a gente mandou fazer 50 camisas comemorativas, então se você for um dos fãs da nossa comunidade, não perca essa oportunidade e passe lá no nosso stand pra garantir a sua:

 

 

Gostaria de convidá-los também para contribuir com a nossa campanha de arrecadação de fundos. Esse ano a campanha, Randa Meetings 2016 – KDE technology on every device, tem como objetivo arrecadar fundos para apoiar os esforços da comunidade para levar suas tecnologias a todos os dispositivos. Contribuindo com essa campanha você vai estar ajudando a comunidade a trabalhar na expansão das tecnologias KDE para outras plataformas. Você pode nos ajudar a continuar fazendo software livre como temos feito nos últimos 20 anos :)

Vemos vocês no FISL! o/

 

20:59, Tuesday, 12 July UTC

July 10, 2016

Aracele Torres (araceletorres)

Vamos celebrar 20 anos de KDE no FISL 17!

Há quase 10 anos eu uso tecnologias KDE e há quase 7 anos eu faço parte dessa comunidade linda que se formou aqui no Brasil. É com muito orgulho que farei também parte da comemoração de 20 anos de KDE no FISL 17. Estaremos com uma programação com palestras voltadas para assuntos da comunidade. Durante todo o dia 13/07 acontecerá o nosso mini-evento, Engrenagem, dentro da programação do FISL. Além disso, como é de costume, estaremos também com um stand no evento, vendendo camisas e trocando ideias com quem aparecer por lá!🙂

Confiram abaixo a programação que preparamos para vocês:

PosterKDEFisl17

O evento terá a palestra de abertura de David Edmundson, um dos caras do KDE que trabalha com o Plasma. Edmundson será o nosso palestrante internacional e vai falar um pouco do Plasma 5, a nossa nova geração do Plasma, lançada em 2014.

E como não poderia deixar de ser, eu, a historiadora da história😀, vou falar da trajetória da comunidade KDE nesses 20 anos que passaram. Muita coisa mudou desde aquele ano de 1996 em que o projeto foi anunciado e eu gostaria que todos soubessem o que já significou e o que significa KDE hoje. Portanto, confira a nossa programação acima e não deixe de participar! Esperamos vocês pra comemorarmos todos juntos 20 anos de trabalho pelo software livre!❤

Gostaria de convidá-los também para contribuir com a nossa campanha de arrecadação de fundos. Esse ano a campanha, Randa Meetings 2016 – KDE technology on every device, tem como objetivo arrecadar fundos para apoiar os esforços da comunidade para levar suas tecnologias a todos os dispositivos. Contribuindo com essa campanha você vai estar ajudando a comunidade na realização não só do Randa Meetings, mas de outros eventos nos quais seus desenvolvedores possam se reunir e trabalhar na expansão das tecnologias KDE.

banner-fundraising2016


16:10, Sunday, 10 July UTC

June 06, 2016

Frederico G. Guimarães (aracnus)

Do primeiro LaKademy a gente nunca se esquece…

Logo do LaKademy 2016Nesse ano eu tive o prazer e a honra de ser convidado para participar do meu primeiro LaKademy. Pra quem não conhece, essa é a conferência de usuários e colaboradores do KDE na América Latina. O evento desse ano aconteceu no Rio de Janeiro, nas dependências da UNIRIO, que fica no belíssimo bairro da Urca, bem aos pés do bondinho do Pão de Açúcar. Pois é… E nem foi dessa vez que eu realizei meu desejo de andar nele…

Como (ainda) não tenho cacife pra ser desenvolvedor, participei em duas frentes no evento: tradução e promoção. Em relação ao primeiro tema, eu, a Aracele Torres e a Camila Moura trabalhamos junto discutindo como poderíamos aprimorar o processo de tradução do KDE. Resolvemos partir de uma revisão de todas as traduções disponíveis atualmente, tanto das interfaces quanto da documentação. Isso se deveu ao fato de que várias aplicações contém trechos que foram traduzidos há muito tempo e nunca foram revisados, alguns, inclusive, anteriores ao último acordo ortográfico da língua portuguesa (de 2009). Outro objetivo dessa revisão é gerar uma memória de tradução atualizada e confiável, que será disponibilizada publicamente ao final do trabalho.

Eu e minha clássica camisa do Konq Camila, Aracele e eu, tradutores, na escala de cores RGB  :-)

Ainda em relação a esse tema, discutimos a manutenção de um glossário de termos, com o objetivo de dar consistência às traduções. É comum, por exemplo, encontrarmos termos que são traduzidos de formas diferentes, às vezes dentro do próprio programa. Nesse ponto tivemos uma feliz surpresa. Após definirmos que usaríamos o Vocabulário Padrão (também conhecido como VP) como referência, descobrimos que o criador da versão atual é o Fernando Boaglio, coordenador da equipe de tradução do KDE para o Português do Brasil. Isso simplificou bastante o trabalho, pois conseguimos acesso ao termos atualmente vigentes no sítio do VP, bem como ao código-fonte da aplicação onde ele roda. Teremos como trabalho agora normatizar esses termos para que eles possam ser livremente utilizados e planejamos uma ferramenta web que seja capaz não só de permitir a consulta aos termos, como também baixá-los na forma de um glossário, que poderá ser utilizado no Lokalize para futuras traduções. E a bola desse desenvolvimento nós passamos para o Henrique Sant’Anna (quem mandou ele ficar perto da gente?) 😉

Já em relação à promoção do KDE, tivemos uma manhã intensa de discussões sobre o que fazer para melhorar o envolvimento das pessoas com o projeto e a sua divulgação. Entre as várias propostas, um dos consensos foi o de termos uma participação mais ativa não só nos grande eventos, como o FISL e o Latinoware, mas também em pequenos eventos locais e no FLISoL. E teremos também nesse ano as comemorações do aniversário de 20 anos do KDE, com propostas de atividades especiais, entre elas a produção de um vídeo sobre o projeto. Ah, e já fechamos a cidade do LaKademy 2017: Belo Horizonte! Inclusive com um local definido (e já confirmado): será nas dependências do campus I  do CEFET-MG, no bairro Nova Suiça. O local já está confirmado, agora é trabalhar na organização do evento.  \o/

Bom, como comentário final, eu adorei o evento! Foram dias frenéticos em que chegávamos por volta das 9:30h e nunca saíamos antes das 20:00h. E o clima era tão bom que nem percebíamos as horas passando. Além disso, foi uma oportunidade ímpar não só de poder colaborar mais diretamente com as pessoas envolvidas no projeto, mas também de podermos planejar os futuros procedimentos de localização do KDE. Com isso, podemos tentar garantir consistência e qualidade nas traduções, o que me deixou bastante animado com a perspectiva. E claro, é sempre um prazer enorme reencontrar meus bons amigos e amigas do KDE, especialmente depois de tanto tempo longe.  😉   E que venha logo o LaKademy 2017, porque já estou com saudades do povo!!!

Foto oficial, porque todo evento bacana tem que ter uma ;-)

Foto oficial, porque todo evento bacana tem que ter uma ;-)

02:05, Monday, 06 June UTC

May 25, 2016

Filipe Saraiva (filipesaraiva)

if (LaKademy 2016) goto Rio de Janeiro

Rio de Janeiro, a “Cidade Maravilhosa”, terra do Verão eterno. Os raios de sol aqui são sempre claros e quentes, o mar é refrescante, a areia é confortável. As pessoas são alegres, o Rio de Janeiro tem boa música, comida, as festas mais loucas do mundo, e belos corpos se divertindo com jogos de praia.

Mas enquanto o Rio de Janeiro ferve, alguns contribuidores do KDE que vivem na América Latina estarão trabalhando juntos em uma sala fria e escura da cidade, participando do nosso sprint “multi-área” chamado Latin America Akademy – LaKademy 2016.

Nos meus planos pretendo fazer um monte de trabalho relacionado com o Cantor, incluindo uma pesada triagem de bugs e diversos testes com algumas tecnologias IPC. Eu gostaria de selecionar alguma delas para ser a tecnologia “oficial” de implementação de backends no Cantor. O programa precisa de uma tecnologia IPC com bom suporte multiplataforma para os principais sistemas operacionais desktop disponíveis. Estou pensando no DBus… mas você teria alguma sugestão ou dica para me dar?

Outros contribuidores também querem trabalhar no Cantor. Wagner quer compilar e testar a aplicação no Windows, além de iniciar a implementação de um backend para uma nova linguagem. Fernando, que foi meu aluno no SoK 2015, quer corrigir o backend para R. Estou muito feliz em ver estes desenvolvedores querendo sujar suas mãos no código-fonte do Cantor, portanto ajudarei-os em suas tarefas.

Durante o LaKademy também pretendo apresentar para os participantes algumas ideias e protótipos sobre 2 novos softwares que estou trabalhando. Espero pegar alguns feedbacks e em seguida pensar sobre os próximos passos para estas aplicações. Quem sabe eu possa submetê-las como novos projetos do KDE? Bem, veremos. 🙂

Espere por mais notícias de nossa fria e escura sala onde realizaremos o LaKademy no Rio de Janeiro. 🙂

00:25, Wednesday, 25 May UTC

May 20, 2016

KDE Brasil

O LaKademy 2016 está chegando!

Olá comunidade!

Na próxima quinta-feira, dia 26 de maio, começa mais uma edição do LaKademy, a nossa conferência de usuários e colaboradores do KDE nos trópicos :)

Esse ano o evento vai ser realizado no Rio de Janeiro, na  UNIRIO (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro), entre os dias 26 e 29 de maio. Como em todas as edições anteriores, o evento será aberto ao público em geral e quem quiser fazer parte, basta se inscrever rapidinho nesse formulário aqui.

O LaKademy é a oportunidade que os contribuidores e usuários do KDE na América Latina têm para se encontrarem pessoalmente e trabalharem em projetos e ideias para a comunidade. Nele reunimos desenvolvedores, tradutores, o pessoal da promo, designers, sysadmins, e todos os tipos de contribuidores possíveis numa comunidade de software livre :) Portanto, não se acanhe! Venha e participe! Seja lá qual for a sua formação, a comunidade pode se beneficiar muito da sua contribuição :)

Qualquer dúvida, consulte o nosso FAQ sobre o evento ou mande e-mail na nossa lista.

Esperamos vocês no Rio! o/

 

17:10, Friday, 20 May UTC

March 26, 2016

Filipe Saraiva (filipesaraiva)

Workshop de Software Livre 2016 – chamada de artigos e ferramentas

wsl2016-banner

Está aberta a chamada de trabalhos do Workshop de Software Livre (WSL), o evento acadêmico irmão do Fórum Internacional de Software Livre (FISL). Esse ano temos uma interessante novidade: além da já usual chamada de artigos, há também uma chamada específica para ferramentas livres.

O WSL publica artigos científicos com os mais variados temas de interesse das comunidades de software livre, como dinâmica social, gerenciamento, processos de desenvolvimento e motivações de contribuidores em comunidades, adoção e estudos de caso sobre software livre, aspectos jurídicos e econômicos, estudos sociais e históricos sobre o tema, e muito mais.

Esse ano, com a chamada de ferramentas, iremos publicar artigos que descrevem software, garantindo que o programa descrito atende a diversos critérios de qualidade e de adequação quanto a ser software livre.

Todos os artigos serão publicados no repositório de acesso aberto do WSL. Esse ano estamos trabalhando forte para termos um ISSN e DOI para as publicações.

O deadline é dia 10 de abril. Os artigos podem ser submetidos em português, inglês ou espanhol.

Saiba mais na página oficial do WSL.

16:55, Saturday, 26 March UTC

February 10, 2016

Filipe Saraiva (filipesaraiva)

Cantor migrando para o Phabricator: que ferramentas nossos contribuidores devem usar

Projetos e softwares desenvolvidos pela comunidade KDE estão migrando para uma nova ferramenta que irá gerenciar nossos códigos, commits, revisões, tarefas, e mais. Esta ferramenta é o Phabricator e você pode visitar a instância dela para os projetos do KDE neste endereço.

Desde novembro de 2015 estamos migrando o Cantor para o Phabricator. Após nossa primeira revisão de código finalizada com sucesso alguns dias atrás, decidi escrever um post sobre que ferramentas nossos contribuidores devem utilizar enquanto o processo de migração não é finalizado.

Projeto

Phabricator tem uma aplicação para gerenciamento de projetos onde podemos colocar algumas informações úteis e coordenar a execução de tarefas. A página de projeto do Cantor está online e configurada.

Outra interessante funcionalidade é a possibilidade de ingressar em um projeto ou apenas acompanhar suas atividades. Se você tiver uma KDE Identity, faça o login no KDE Phabricator e siga-nos!

Workboard

O KDE oferece uma aplicação para gerenciamento da execução de tarefas utilizando um quadro estilo kanban, o KDE TODO. Apesar dela ser uma excelente ferramenta, nós nunca a utilizamos para o Cantor.

A aplicação Projects no Phabricator tem uma funcionalidade com este mesmo objetivo, o Workboard. Atualmente a estamos utilizando para acompanhar as tarefas do estudante Fernando Telles durante o SoK. A partir dessa experiência, pretendo utilizar o Workboard para gerenciar o desenvolvimento do Cantor.

Tarefas, bugs, desejos

A aplicação do Phabricator chamada Maniphest é uma ferramenta para criação e acompanhamento de bugs, tarefas e desejos (sugestões de funcionalidades).

Entretanto no KDE temos um Bugzilla pesadamente customizado, fazendo com que para o momento não tenhamos uma decisão sobre como migrar nossa ferramenta de relatórios de bugs.

Portanto, KDE Bugzilla ainda é nossa ferramenta para relatórios de bugs. Apesar disso, convido os contribuidores para que usem o Maniphest para submissão de desejos de novas funcionalidades. Nós nunca utilizamos o Bugzilla para este último objetivo, então não haverá problemas se começarmos a utilizar essa nova ferramenta para isso.

Repositório

A exemplo da maioria dos projetos do KDE, Cantor tem seu código fonte gerenciado pelo git. Phabricator tem uma aplicação chamada Diffusion que permite navegar e ver uma variedade de dados a partir de um repositório de código fonte.

Esta aplicação está configurada para o Cantor e pode ser visitada neste link.

Revisão de código

A aplicação do Phabricator para revisão de código é chamada Differential e também está disponível para o Cantor.

Entretanto ainda não há uma decisão sobre a migração definitiva e desativação da ferramenta atual de revisão de código usada pelo KDE, o Reviewboard. Portanto, nossos colaboradores podem utilizar uma ou outra ferramenta (mas por favor nunca as duas ao mesmo tempo!). Ainda assim, fica a recomendação para que deem prioridade e comecem a utilizar o Differential.

Wiki

Sim, Phabricator também tem sua própria aplicação para páginas wiki, chamada Phriction. Atualmente o Cantor só tem uma página na wiki Userbase. Como nós não utilizamos wiki no momento, só decidiremos se iremos utilizar o Phriction em algum momento no futuro.

Comunicação

Ok, o Phabricator também tem uma ferramenta própria para comunicação, Conpherence. Entretanto, os colaboradores do Cantor devem continuar a usar nossas atuais ferramentas de comunicação providas pelo KDE Edu, o canal IRC #kde-edu na rede Freenode e a  lista de e-mail do KDE Edu.

Apesar de eu ter algumas críticas sobre o Phabricator (por exemplo, eu não gosto da arquitetura Aplicações -> Projeto; prefiro Projeto -> Aplicações), ela é uma ferramenta muito interessante para o gerenciamento de projetos e tem uma ampla gama de aplicações para trabalhos específicos. Neste texto eu listei várias delas, mas ainda há muitas outras para serem exploradas e avaliadas.

Espero que este post possa ajudar os colaboradores do Cantor sobre qual ferramenta deve ser utilizada para desempenhar algum trabalho do projeto. Talvez o texto também sirva para apresentar algumas novidades para futuros usuários do Phabricator e ajude desenvolvedores do KDE durante o processo de migração. Por último, principalmente para o público de não colaboradores, o texto apresenta algumas das ferramentas que usamos no KDE.

O impacto do Phabricator na comunidade KDE é algo que deverá ser analisado no futuro próximo. Essa ferramenta e suas diversas aplicações poderão mudar consideravelmente como os subprojetos no KDE são organizados. Vamos ver o que o futuro revelará para nós.

16:16, Wednesday, 10 February UTC

December 21, 2015

KDE Brasil

Desafio de fim de ano KDE Brasil - seu patch vale presentes!

 

Está lançado o desafio de fim de ano do KDE Brasil - envie seu patch com uma nova funcionalidade e ganhe as cobiçadas camisetas e canecas do KDE em casa!

Promoção limitada e válida apenas até o dia 10 de janeiro. Qualquer dúvida, pergunte nos canais IRC #kde-brasil ou na lista de discussão.

Antes de começar, dê uma olhada no vídeo do Contribuindo com o KDE e configure seu ambiente de desenvolvimento.

Aguardamos seu código! :)

13:50, Monday, 21 December UTC

KDE Brasil

Contribuindo com o KDE - aula 3 - configurando o ambiente de desenvolvimento

Sandro Andrade acabou de atualizar a série de vídeo aulas "Contribuindo com o KDE" com um episódio muito especial para quem quer colocar a mão na massa e colaborar com código para a comunidade: um passo a passo com as configurações do ambiente de desenvolvimento.

O vídeo utiliza o Arch Linux como base, mas os passos são simples de serem adaptados para quaisquer outras distribuições.

Destaque também para a utilização do script kdesrc-build, que automatiza muitas etapas do processo de obtenção do código fonte, compilação e instalação.

Que tal nessas férias configurar seu ambiente de desenvolvimento e começar 2016 pronto para enviar patches aos softwares que você tanto gosta? ;)

13:08, Monday, 21 December UTC

October 31, 2015

KDE Brasil

Vídeo aulas "Contribuindo com o KDE"

Há duas semanas gravamos o primeiro vídeo de uma série de vídeo aulas que pretendemos fazer sobre como você pode começar a contribuir com o KDE. 

O Sandro Andrade está sendo responsável pela produção dos vídeos e já disponibilizou dois desde então. 

O primeiro vídeo é bem introdutório e apresenta a comunidade KDE, suas principais tecnologias e seu ecossistema, ou seja, tenta fornecer uma visão geral sobre como as coisas funcionam na nossa comunidade. No segundo vídeo, você vai aprender a como preparar o seu ambiente para começar a contribuir. O vídeo ensina como instalar o ArchLinux, o KDE Plasma Desktop, o KDE Framework e o KDE Applications.

Se você tem vontade de fazer parte da nossa comunidade e começar a contribuir, esses vídeos podem ajudá-lo nos primeiros passos. Assista e, se possível, nos dê também um feedback! ;-)

 

 

13:53, Saturday, 31 October UTC

October 20, 2015

Frederico G. Guimarães (aracnus)

Solução (simples) pra quem não consegue entrar no SDDM após atualização do Debian Stretch

Quem usa Debian Stretch com a combinação KDE+Nvidia+SDDM teve uma infeliz surpresa após atualizar os drivers da Nvidia pra última versão e o pacote glx-diversions para a versão 0.6.0: o SDDM dá um erro (mais especificamente o erro é anunciado pelo sddm-greeter) e não aparece mais a tela de autenticação.

Depois de dar uma passeada na rede, achei uma solução bem simples e que resolve o problema: adicionar o usuário sddm ao grupo video. Parece que também é necessário adicionar o seu próprio usuário a esse grupo, mas como o meu já estava nesse grupo, foi só adicionar o sddm que tudo voltou a funcionar perfeitamente. Pra quem não lembra, pra adicionar o usuário ao grupo é só usar o comando abaixo (como root ou usando o sudo:

adduser sddm video

A dica veio desse bug aberto na Debian.

23:03, Tuesday, 20 October UTC

September 19, 2015

Filipe Saraiva (filipesaraiva)

Cantor: novo release em dezembro

cantor-backendselection

Diálogo de seleção de backends no Cantor

Cantor, o ambiente de programação científica inspirado no conceito de notebooks, está com o lançamento de uma nova versão programada para ocorrer junto com o KDE Applications 15.12 em dezembro.

A funcionalidade mais importante nesse futuro release será a remoção da dependência do KDELibs4Support. O Cantor teve um port inicial para Qt5/KF5 lançado com o KDE Applications 15.04 em abril, mas aquela versão ainda usava o KDELibs4Support. Porém, agora essa é uma história que ficou no passado. Atualmente, o código fonte no branch master do repositório do Cantor já pode ser compilado sem KDELibs4Support. Espero que isso signifique um importante passo para o port do software para outros sistemas operacionais.

Nas semanas seguintes irei fazer uma triagem nos relatórios de bugs para verificar quais ainda estão presentes na atual versão. Vamos trabalhar duro e investir bastante energia para termos uma ótima nova versão!

Se você puder ajudar nesse desenvolvimento, sinta-se convidado para se juntar a mim nesta tarefa.

Caso aprecie meu trabalho com o Cantor, você pode demonstrar seu apoio fazendo uma doação diretamente para mim. Ou considere fazer uma doação para a comunidade KDE – desta forma você estará apoiando as melhorias desenvolvidas para o desktop, aplicações, bibliotecas, e para a infraestrutura fornecida pelo KDE para os mais variados projetos de software livre. Há uma campanha de crowdfunding acontecendo até dia 30 de setembro e uma página de doações sempre disponível.

E Feliz dia da Liberdade do Software!

(Happy Software Freedom Day!)

20:06, Saturday, 19 September UTC

September 10, 2015

KDE Brasil

KDE no FISL 16

Muitos de vocês já sabem que o FISL (Fórum Internacional de Software Livre) é uma grande conferência mundial de FLOSS. De 8 a 11 de julho de 2015, um total de 5281 pessoas apaixonadas por software livre se reuniram em Porto Alegre (sul do Brasil) para a 16º edição do FISL, desfrutando de atividades tais como: conversas, painéis, hackthons, oficinas e reuniões de comunidades. Todos os tipos de tópicos relacionados a FLOSS estavam presentes: desenvolvimento, tradução, artwork, educação, robótica, empreendedorismo, áudio-visual, mulher e gênero, política, academia e pesquisa… Ufa! Muita coisa! :) O KDE tem uma longa e memorável história no FISL e este ano não foi diferente.

Uma palestra inspiradora por Cornelius

O Workshop de Software Livre (WSL) é uma reunião que acontece paralelamente ao FISL dedicada à apresentação, discussão e publicação de trabalhos científicos revisados por pares sobre FLOSS. Este ano, o WSL teve a honra de receber Cornelius Schumacher (ex-presidente do KDE e.V.) como orador principal. Em sua palestra inspiradora intitulada “Learning to Grow” (Aprendendo a Crescer), Cornelius enumerou onze características das comunidades de software livre, os quais fornecem o substrato fundamental aos recém ingressantes ao FLOSS para exercitar e alavancar suas habilidades técnicas, administrativas e sociais.
 
 
Palestra de Cornelius no XVI International Free Software Workshop (WSL)

KDE marca presença e chama atenção

Este ano, os membros da Comunidade KDE estavam confortavelmente instalados em um estande de 6m² na área dos expositores. Lá podíamos instalar nosso recém impresso poster do Konqi (muito obrigado ao KDE Visual Design Group pelas dicas legais), mostrar tecnologias KDE aos visitantes, e vender nossas mercadorias. Ficamos contentes em ter seis diferentes modelos de camisetas do KDE, alguns broches do Konqi e algumas canecas para pessoas que desejam demonstrar seu amor pelo KDE :).
 
 
Estande do KDE no FISL 16
 
Quando os recém-chegados se aproximavam da exposição com diversas perguntas sobre Linux, distros e KDE, ficou claro o quão rico e às vezes complicado o mundo FLOSS pode ser. Acostumar-se aos papéis desempenhados por diversos atores e compreender como as comunidades se entrelaçam entre si pode ser confuso. Várias vezes tivemos visitantes juntando-se a nós para explicarmos sobre o ecossistema Linux/Qt/KDE, as motivações para contribuir no KDE e os passos básicos para fazer isso.
 
 
Filipe mostrando as tecnologias KDE em nosso estande

Atraindo novos colaboradores

É de comum conhecimento que as primeiras contribuições em projetos FLOSS significa antes superar várias barreiras, particularmente em regiões que não possuem a cultura, incentivos e apoio adequado a este envolvimento. Divulgando o quão fácil a Comunidade KDE é e tendo conversas informais e inspiradoras com os veteranos, podemos reduzir significativamente essas barreiras, dando assim um impulso nas motivações dos jovens. No terceiro dia do FISL, houve uma sessão Q&A com Cornelius e um grupo de estudantes de Ciências da Computação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA) - uma universidade pública no Nordeste do Brasil. Foi legal observar muitas perguntas interessantes sendo levantadas e os estudantes sendo presenteados com toda a experiência de Cornelius.

Sessão Q&A com Cornelius e alguns estudantes de Ciências da Computação do IFBA

Mulheres na tecnologia com Aracele

Um tópico que tem sido amplamente discutido nas conferências FLOSS no Brasil é a presença de mulheres na tecnologia. O FISL 16 teve quatro painéis dedicados a este assunto – um em cada dia de conferência. Os objetivos são de ajudar na identificação de barreiras e situações de assédio, caracterizar o envolvimento de mulheres em comunidades FLOSS, e compartilhar experiências como um meio de estimular novos contribuidores. Aracele apresentou um testemunho legal sobre sua dissertação de mestrado acerca do Projeto GNU, como ela se envolveu no KDE e o que a mantém dedicando algum tempo a projetos de Software Livre.
 
 
Painel “Women in Technology” do FISL

Encontro da Comunidade KDE

Nós temos a tradição de realizar um encontro da Comunidade KDE no FISL. É um momento para entender melhor nossos usuários, obter algum feedback e apresentar as coisas incríveis que construímos. Embora a construção de comunidades FLOSS não seja fácil, foi bastante gratificante ver quatro gerações de contribuidores brasileiros do KDE compartilhando o mesmo espaço e socializando suas experiências, problemas e motivações.
 
 
Encontro da comunidade KDE no FISL 16

Obrigada - e até a próxima

E isso é tudo! O KDE teve uma ótima estada no FISL 16. Estamos ansiosos para a próxima edição, mas ainda precisamos planejar nossa presença na Conferência Latino-Americana de Software Livre – Latinoware, outro grande encontro de Software Livre no Brasil. Muito obrigado ao KDE e.V., a equipe organizadora do FISL e a todos os membros da comunidade Latino-americana do KDE pelo suporte inestimável.
 
 
Mas, espere! :) Nos ajude a promover o 2º episódio do Engrenagem – a série de vídeo em português sobre todos os tipos de coisas relacionadas ao KDE. O episódio foi ao ar em 18 de julho, 10h30min GMT-3, e falou sobre o papel do Qt na Comunidade KDE (mas poderia facilmente ser intitulada de o papel do KDE na Comunidade Qt :)).
 
 

13:30, Thursday, 10 September UTC

September 05, 2015

Filipe Saraiva (filipesaraiva)

Escrevendo Ciência com Software Livre

No Fórum Internacional de Software Livre (FISL) desse ano apresentei uma palestra interessante para aqueles que trabalham com pesquisa em geral. Falei sobre alguns softwares livres utilizados naquilo que os pesquisadores, não importando qual área estejam trabalhando, mais fazem: ler e escrever.

scientific-method

Konqi – o mascote do KDE – explica uma versão do método científico

Seja das humanidades, seja das exatas, das ciências da vida, ou das artes, pesquisadores irão dedicar boa parte do seu tempo de trabalho lendo textos – sejam artigos, livros, teses, e mais -, gerenciando esses textos e as informações coletadas a partir deles – como fichamentos – e escrevendo novos textos científicos, alimentando a cadeia formal de produção e divulgação de ciência.

Para isso a comunidade de desenvolvedores de software livre KDE disponibiliza três softwares muito interessantes, que cobrem as etapas comentadas acima:

  • Okular – um leitor universal de documentos (lê PDF, ePub, txt, ODF, OOXML, e mais) que permite fazer anotações seguindo o padrão PDF;
  • Kile – um editor LaTeX que conta com modelos, destaque de sintaxe, complementação de código, e muitos assistentes para inserção de figuras, criação de tabelas, e outros;
  • Kbibtex – um gerenciador de referências que permite organizar a base de informações da sua pesquisa, relacionar entradas bibtex com arquivos de diversos tipos, fazer buscas em vários repositórios de referências sobre temas e autores, entre outras.

anotacoes_okular

Exemplo de anotações com Okular

Na palestra introduzi algumas informações sobre a comunidade KDE, sobre ciência e software livre, e em seguida passei a falar de cada software, fazendo demonstrações das diversas funcionalidades presentes neles.

Se você não compareceu ao FISL e ficou interessado nessa apresentação, sem problemas! Os slides que utilizei estão logo abaixo. Mas a melhor parte é que é possível conferir as demonstrações das funcionalidades dos softwares, porque a palestra foi filmada! O vídeo com pouco mais de 30 minutos está mais abaixo.

Os slides:

O vídeo:

Espero que gostem das informações aí apresentadas e fiquem a vontade para enviar qualquer dúvida, seja pelos comentários aqui do post, ou via meu e-mail em filipe at kde.org.

12:26, Saturday, 05 September UTC

August 20, 2015

KDE Brasil

LaKademy 2015

Construir comunidades FLOSS locais não é fácil! Isso requer primeiramente uma comunicação clara e sincera das nossas motivações, a natureza das possíveis contribuições, seus impactos globais e benefícios técnicos e sociais que potencialmente obteremos. Em seguida, precisamos criar meios sistemáticos e efetivos para gerar cultura, dar apoio aos novatos, identificar suas forças e ajudá-los a superar as muitas barreiras que eles normalmente enfrentam. Finalmente, temos que manter tal organismo sócio-técnico vivo, estabelecendo metas de médio a longo prazo, aprendendo com os altos e baixos, e suportando os desafios de construir comunidades prósperas em lugares com dimensões continentais tais como o Brasil e a América Latina.

A Conferência Latino Americana do KDE – LaKademy – encontrou o seu caminho no sentido de estabelecer um espaço regular e consolidado para discutir ações, fazer contribuições de vários aspectos e apoiar os novatos para ingressarem no KDE do Brasil e da América Latina. A 3a edição do LaKademy aconteceu de 3 a 6 de junho, 2015, na Superintendência de Tecnologia da Informação da Universidade Federal da Bahia, em Salvador, Bahia, Brasil.

Pela primeira vez, fizemos uma campanha de arrecadação de fundos nas semanas que antecederam o encontro, cobrindo parte das despesas para fazer acontecer o LaKademy 2015. Mais uma vez, gostaríamos de agradecer àqueles que contribuíram para a campanha - nós agradecemos imensamente pelo seu apoio! Quinze participantes, de veteranos a novatos, reuniram-se naqueles quatro dias de sprints. Infelizmente, nossos colegas da Argentina e Peru não puderam comparecer ao LaKademy 2015, tornando este mais semelhante a um Akademy-BR, reforçado pelo fato de ter acontecido em Salvador - o lugar onde  estas séries de encontros do KDE se iniciaram cinco anos atrás. Assim como aqueles que já tem contribuído com o KDE, nove novatos juntaram-se a nós nas atividades de desenvolvimento, tradução e promoção.

Daniela, Alana e Filipe trabalharam na remoção de dependências do KDELibs4Support do Cantor. Aracele fez a tradução de alguns tutoriais para o novo site do KDE Brasil e atualizou alguns textos antigos do KDE3. Lamarque trabalhou na triagem de bugs do PlasmaNetworkManager, e Ícaro, Rodrigo e Fernando deram seus primeiros passos para contribuir com o KDE implementando um recurso para aumentar o tamanho das bolas inimigas com o passar do tempo no jogo Kollision. Simone, que está fazendo seu doutorado em Ecosistemas de Software, participou fazendo entrevistas e levantamentos sobre os muitos aspectos técnicos e sociais de ser um colaborador KDE. Rafael, nosso sys-admin master, apresentou uma palestra sobre a infraestrutura do KDE e das áreas de contribuição. Como de costume, a reunião de promoção aumentou a quantidade de trabalho a ser feito. Nós também organizamos melhor tais tarefas no kanboard do KDE Brasil, revisamos as nossas finanças, e decidimos sobre algumas ações para o FISL, Latinoware e a contínua presença do KDE no Brasil e na América Latina.

Um dos resultados da reunião de promoção é o Engrenagem - uma vídeo-serie sobre o KDE que será produzida regularmente, inicialmente voltado à comunidade Brasileira. O primeiro episódio - nomeado "Tudo que você gostaria de saber sobre o KDE" (não no sentido de ser pretencioso demais, mas sim de ser um primeiro episódio bastante geral) - já foi gravado no dia 20 de Junho e o segundo, dedicado ao "O papel do Qt na comunidade KDE", está agendado para 18 de Julho. É notável como os relacionamentos e dependencias entre Linux, Qt e KDE são ainda obscuros para uma audiência geral e para alguns dos jovens estudantes de Ciência da Computação e profissionais. Esperamos que o Engrenagem contribua para trazer alguma luz nestes mal-entendidos e sirva de meio para comunicarmos de forma mais ampla as contribuições para o KDE.

Nós gostariamos de agradecer ao KDE e.V. e aos doadores do LaKademy 2015 pelo apoio financeiro, ao Programa Onda Digital e à Superintendência de Tecnologia da Informação da UFBA pela ajuda valiosa na organização e por sediar o LaKademy 2015.

Confira as fotos do LaKademy 2015.

(texto original por Sandro Andrade, tradução de Fernando Teles)

14:46, Thursday, 20 August UTC

August 16, 2015

KDE Brasil

Você pode ajudar a melhorar ainda mais as tecnologias do KDE!

A vida moderna tem se tornado cada vez mais dependente de sistemas de software. Muitos dispositivos usados diariamente contam com Software Livre para suas funcionalidades basicas ou serviços adicionais. Aparelhos de TV, ATMs, smartphones, media centers e sistemas de entretenimento de bordo são exemplos do que o Software Livre vem impulsionando aos limites da tecnologia atual. Isto é alcançado através do uso de soluções comprovadas, desenvolvidas de maneira colaborativa, aberta e confiável. As Áreas de trabalho, Aplicações e Frameworks entregues pelo KDE são representantes do empoderamento que o Software Livre fornece para nossas vidas. Os Exemplos disso são as aplicações educacionais da suíte  KDE-Edu, muitas das tecnologias KDE implementadas em centros públicos de inclusão digital e um conjunto completo de software aberto para dispositivos móveis como o Plasma Mobile.

Doações para a campanha de arrecadação de fundos do KDE Sprints 2015

Além disso, nos últimos anos, o KDE tem sido uma comunidade bastante proveitosa para incubação de projetos como GCompris, ownCloud e WikiFM. Este é uma bom indicativo do quanto a comunidade tem se tornado aberta, diversa e arrojada. O KDE também treina jovens profissionais de Ciência da Computação: Nossa participação contínua em programas tais como Google Summer of Code (GSoC) e Season of KDE (SoK) tem fornecido uma atmosfera acolhedora e fértil para novatos, ajudando a alavancar suas habilidades técnicas e sociais e desfrutar a experiência completa da contribuição de Software Livre.

Embora muitos dos trabalhos em projetos de Software Livre sejam feitos remotamente, mediados através de debates em listas de e-mail e canais IRC, é bem conhecido que estes encontros presenciais (sprints) são importantes na condução de objetivos gerais. Eles ajudam a ter discussões aprofundadas e a fazer as tarefas. Os sprints são uma oportunidade para os colaboradores fazerem o trabalho duro focados, todos entusiasmados e comprometidos para obter o máximo destes dias. Os sprints fazem as ideias mais inovadoras e arrojadas se tornarem realidade. Os novatos se juntam com seus corações tomados pela atmosfera vibrante e próspera que eles experimentam.

Pessoas focadas no trabalho durante um sprint KDE

O KDE tem uma forte tradição na organização de sprints, focados nas diferentes tecnologias KDE. Ao longo dos últimos anos, nós realizamos sprints que reuniram desenvolvedores de times como na suíte Kontact, Plasma, digiKam, Calligra, Krita, Okular e muito mais.

Durante os dias de sprint, colaboradores de longa data, novatos potenciais e estudantes GSoC/SoK se reúnem para construir e melhorar relações, fortalecer a colaboração e criar incríveis produtos KDE.

Os Encontros Randa em particular são dos sprints KDE mais bem sucedidos. Eles permitem aos colaboradores dos muitos projetos KDE fazerem trabalhos impressionantes em um lugar silencioso nas montanhas. Focados e trabalhando em salas com equipes separadas leva a grande progresso entre software, artwork e documentação e a sala de jantar compartilhada constrói boas relações e amizades.

Foto do grupo - Encontros Randa 2014

Neste ano o lema dos Encontros Randa é "Traga o touch para o KDE". É um esforço unificado para fazer aplicações KDE prontas para dispositivos baseados em toque e parece uma sequência lógica ao projeto Plasma Mobile anunciado no Akademy 2015 no final de setembro. Mas esta é apenas uma coincidência agradável.

Para fazer tudo isso acontecer, o KDE depende do apoio dos nossos patrocinadores e de iniciativas como o Join the Game e o Supporting Membership Program. Sua colaboração pode fazer a diferença ajudando-nos a realizar todos aqueles sprints. A campanha de arrecadação de fundos do Randa do ano passado foi de extrema importância para cobrir as despesas de participação dos colaboradores. Nós acreditamos que é uma grande recompensa para aqueles que dedicam seus tempos livres como voluntários e continuam expandindo as fronteiras das tecnologias do KDE. Nós gostaríamos de conquistar você como um apoiador ativo do KDE, colaborando no desenvolvimento, tradução, artwork e atividades de promoção. Se você não é capaz de fazer isto por qualquer motivo, por favor, considere fazer uma doação na campanha de arrecadação de fundos dos Sprints KDE 2015. Esta também é uma importante maneira de ajudar-nos a seguir  em frente com as tecnologias e os valores do KDE. Nós ficaremos felizes de enviar-lhes um agradável presente de "Obrigado" em troca!

Confira o que fizemos no Encontro Randa KDE 2014

(texto original por Sandro Andrade, tradução de Fernando Teles)

15:17, Sunday, 16 August UTC

July 28, 2015

Filipe Saraiva (filipesaraiva)

LaKademy 2015 – meu sprint do Cantor e outros trabalhos

De 3 à 6 de junho o KDE Brasil voltou à Salvador/Bahia para realizar o KDE Latin America Summit 2015 – ou, usando o nome mais bacana, LaKademy 2015.

Aracele já escreveu sobre como o KDE Brasil teve início. É inevitável não pensar aquilo quando falamos sobre KDE e Bahia ao mesmo tempo. KDE tem colaboradores no Brasil e na América Latina em geral desde muitos e muitos anos atrás (KDHelio está aqui para nos lembrar 😉 ) mas o moderno KDE Brasil, orientado à comunidade, com presença contínua nas principais conferências sobre software livre no Brasil, com diversos desenvolvedores, tradutores, e mais, nasceu na Bahia a partir do trabalho do grupo Live Blue – Sandro e Tomaz. Portanto, viajar à Bahia não é apenas uma jornada ao local de nascimento do Brasil moderno – é também uma viagem ao local de nascimento do moderno KDE Brasil.

Meu principal trabalho no LaKademy 2015 foi terminar o port do Cantor para Qt5/KF5. Eu iniciei essa tarefa no LaKademy anterior, e agora foi o momento de terminá-la. Durante o evento me foquei principalmente na remoção do KDELibs4Support. Durante o sprint abri 5 review requests, um para cada biblioteca removida. Agora estou terminando o mecanismo de carregamento de plugins e o trabalho estará terminado.

Mas esta não foi minha única atividade realizada. Durante o evento tivemos alguns projetores para apresentar palestras e material relacionado com contribuição para software livre. Apresentei o processo de revisão de código para os participantes e como submeter requisições de revisão. Isso foi realmente interessante para os novatos.

“Huumm… vamos compilar esse patch e ver o que acontece.”

Colocar diferentes contribuidores e novatos juntos é um momento interessante para troca de dicas e tirar dúvidas sobre diversos aspectos relacionados com contribuição. É interessante ver as diferentes distribuições Linux utilizadas por cada desenvolvedor, como cada um configura seu ambiente de desenvolvimento, e mais. É também um momento legal para sentar lado a lado com outros desenvolvedores para aprender um pouco mais, ou com os novatos para ensinar algo.

Enquanto trabalhei no port do Cantor, fui auxiliado por Daniela e Alana durante a remoção do KDialog. Outro momento legal foi ver a contribuição do Ícaro, Rodrigo e Fernando, adicionando a funcionalidade para automaticamente aumentar o tamanho das bolas no Kollision – precisamos entregar isso aos usuários!

“O que você acha dessa linha?”

E claro, tivemos um encontro de promo para discutir as atividades do KDE no Brasil para esse ano. Quem quiser ver nossas ações e propostas, basta dar uma olhada no quadro do KDE Brasil no kanboard.

Promo Promo Promo Promo Promo Promo

Agora é o momento de espalhar a mensagem do KDE nos eventos brasileiros de software livre – e esse trabalho já começou semanas atrás durante o FISL.

Finalizando, obrigado Sandro por ter organizado o LaKademy 2015 e por toda sua dedicação ao KDE Brasil. Gostaria de agradecer também a todos que contribuíram com o crowdfunding do LaKademy 2015 e ao KDE e.V. – vocês fizeram o evento acontecer! Obrigado também ao Aleix Pol por revisar minhas contribuições de código! =)

E obrigado Salvador por ser essa cidade maravilhosa e sua culinária espetacular! =D

Somos uma família feliz!

15:04, Tuesday, 28 July UTC

July 26, 2015

KDE Brasil

Plasma Mobile, uma plataforma mobile livre

Texto de Sebastian Kügler

Plasma Mobile oferece uma plataforma para dispositivos móveis que é Livre (como em liberdade), amigável, com privacidade e customizável. Plasma Mobile é Software Livre, e é desenvolvido através de um processo aberto. O Plasma Mobile está atualmente em desenvolvimento como um protótipo oferecendo funções básicas para rodar em um smartphone.

 

 

O Plasma Mobile oferece...

  • Liberdade. O Plasma Mobile é Software Livre e Open Source. Ele pode ser adquirido gratuitamente e seu código é licensiado de maneira que é possível alterá-lo de qualquer forma, redistribuí-lo e entender como ele funciona.
  • Facilidade de uso. O Plasma Mobile é construído através de um processo aberto, certificando-se de que as exigências e desejos dos usuários sejam ouvidas e implementadas da melhor maneira possível. Ergonomia e integração entre dispositivos sobre uma pilha de software de alta qualidade fornece um sistema estável, rico e confiável que ajuda os usuários a realizar suas tarefas de forma eficiente e eficaz.
  • Privacidade. O Plasma Mobile se integra com serviços de confiança do usuário. Em vez de depender de reivindicações de hardware ou sistema operacional de fornecedores, a confiança é baseada em software que foi auditado em um processo de desenvolvimento aberto, Software Livre e Open Source que pode ser combinado com serviços de fontes confiáveis, incluindo aquelas mantidas pelo próprio usuário.
  • Customização e personalização. O Plasma Mobile foi construído com modularidade desde o início. Do papel de parede e aparência aos componentes do sistema de nível mais baixo, quase todos os aspectos do sistema podem ser customizados.

 

Ativando a comunidade


O objetivo do Plasma Mobile é dar ao usuário pleno uso do dispositivo. Ele foi concebido como um sistema inclusivo, destinado a suportar todos os tipos de aplicativos. Aplicativos nativos são desenvolvidos utilizando Qt; ele também irá suportar aplicativos escritos em GTK, aplicativos do Android, aplicativos do Ubuntu, e muitos outros, se a licença permitir e o aplicativo puder ser feito para funcionar em um nível técnico.

O processo de desenvolvimento do Plasma Mobile acolhe contribuições em todos os níveis. Se você quer trabalhar com um aplicativo legal, se você quer fornecer uma funcionalidade do sistema como um hotspot móvel, se você quer melhorar o gerenciamento de energia no nível do kernel, se você quer ajudar com o design, o Plasma Mobile aprecia suas contribuições.

Se você quer participar na criação de Plasma Mobile, entre em contato com a gente!

 

Um sistema que você pode confiar


A maioria das ofertas em dispositivos móveis carecem de abertura e confiança. Em um mundo de jardins murados, o Plasma Mobile pretende ser uma plataforma que respeita e protege a privacidade do usuário. Ele fornece uma base totalmente aberta que outras pessoas podem ajudar a desenvolver e usar para si próprias, ou em seus produtos.

Como uma comunidade de Software Livre, é nossa missão dar aos usuários a opção de manter total controle sobre seus dados. A escolha de um sistema operacional móvel não deve ser uma escolha entre ausência de funções ou abandono da privacidade de dados do usuário e informações pessoais. O Plasma Mobile oferece a possibilidade de escolher os serviços que estão autorizados a integrar profundamente no sistema. Ele não compartilhará quaisquer dados a menos que seja explicitamente solicitado.

 

Protótipo já disponível


O Plasma Mobile está disponível como um protótipo de desenvolvedor rodando em um smartphone LG Nexus 5. Ele consegue fazer e receber chamadas telefônicas. Ele fornece um espaço de trabalho para gerenciar o sistema, e um alternador de tarefas para controlar e navegar nos aplicativos do dispositivo. Há também compilações x86, adequadas para um ExoPC, por exemplo, que podem ser úteis para teste. Vários aplicativos foram incluídos - nativos e de terceiros - nas imagens do dispositivo para permitir que o sistema seja testado e melhorado.

Descubra como você mesmo pode dar uma olhada!

 

Onde posso encontrar ...


Mais informações, tais como instruções de instalação, estão disponíveis na wiki do Plasma Mobile, no site do Plasma Mobile e no weblog do Sebas. O código para vários componentes do Plasma Mobile pode ser encontrado em git.kde.org.

Faça perguntas no Fórum do Plasma Mobile, ou envie um email para a lista de discussão plasma-devel, ou (para perguntas privadas) a Sebastian Kügler (sebas@kde.org).

18:49, Sunday, 26 July UTC

July 23, 2015

Filipe Saraiva (filipesaraiva)

“Contribuindo com Grandes Projetos de Software Livre”, no Teresina Hacker Clube

filipe-thc

Quem estiver em Teresina por esses dias apareça na sede do Teresina Hacker Clube para batermos um papo não apenas sobre contribuições com projetos de software livre mas sobre contribuições para grandes comunidades internacionais! Segue o chamado e nos vemos lá! 😉

Amanhã (25/7) às 14h30 teremos o prazer de receber em nosso hackerspace um contribuidor em várias comunidades de software livre: o pesquisador Filipe Saraiva.

Faremos um bate papo sobre os principais motivos para contribuir com grandes projetos de software livre, mostrando na prática o que é uma comunidade internacional que trabalha em conjunto na construção de software de qualidade e responder questões do tipo: Qual a diferença entre contribuir com projetos e distribuições? Quais os principais passos para começar a colaborar? Por que eu faria isso?

Filipe Saraiva é doutorando em engenharia elétrica pela USP – Universidade de São Paulo, bacharel em ciência da computação pela UFPI. Ativista do software livre com participação em várias comunidades, em especial como desenvolvedor no KDE, membro do KDE e.V., e empacotador no Mageia.

A apresentação servirá para os mais diferentes projetos, mas os exemplos práticos demonstrados utilizarão o projeto da comunidade KDE.

Apareça!

18:17, Thursday, 23 July UTC

July 13, 2015

KDE Brasil

Engrenagem - o videocast oficial do KDE Brasil - episódio 2

Engrenagem - episódio 2

 

Dando continuidade ao "Engrenagem" - o programa oficial de videocasts do KDE Brasil - o segundo episódio acontecerá no dia 18/07/2015, sábado, as 10:30. Neste episódio trataremos do tema "A Importância do Qt para o KDE". O videocast será transmitido ao vivo no youtube do KDE Brasil, mas também poderá ser assistido após a realização da transmissão. Para participar fazendo perguntas é só utilizar nosso canal #kde-brasil no freenode.

Participe e conheça um pouco mais sobre a comunidade de software livre mais vibrante do Brasil :)

21:18, Monday, 13 July UTC

May 18, 2015

Filipe Saraiva (filipesaraiva)

Software Livre no Pint of Science Brasil 2015

Pint of Science é um festival internacional em rede que reúne cientistas em mesas de bares para conversar e compartilhar sobre ciência, a repercussão que sua área de pesquisa tem para a sociedade, e muito mais. É divulgação científica + boteco!

O Brasil está participando pela primeira vez do evento, e a cidade de São Carlos terá 3 dias com mesas de bate-papo sobre temas variados em dois restaurantes da cidade.

Para quem estiver na cidade hoje (18/05), a partir das 20h o Espaço Sete terá uma conversa sobre software livre e a liberdade de conhecimento na academia. Estarei lá junto com um grupo de amigos participantes de diversas comunidades de software livre para falarmos sobre o assunto, e claro, beber cerveja.

Vejo vocês lá!

18:32, Monday, 18 May UTC

May 06, 2015

Sandro Andrade (sandroandrade)

KDE Brasil – quem somos, o que fazemos e por quê ?

Pode parecer um tanto quanto sem sentido – para nossos amigos e familiares – porque nos envolvemos de forma tão intensa em uma atividade voluntária de colaboração em projetos de software livre. Os motivos são diversos e satisfatoriamente investigados em alguns projetos de pesquisa [1, 2]. Como qualquer trabalho voluntário, contribuir com software livre nos expõe a experiências, sensações e recompensas que nos tornam mais maduros, mais humanos e mais conscientes do nosso papel na sociedade e na formação do mundo para as próximas gerações.

Pelo menos para nós, profissionais da área de Computação, a primeira motivação – geralmente mais rústica e imediatista – é uma só: acesso a tecnologia moderna e de qualidade. Com o tempo, passamos a experimentar, entender e divulgar outros aspectos: compartilhamento livre do conhecimento, valorização de pessoas acima da tecnologia, sensação de pertencimento, amadurecimento pessoal e profissional, vivência de outras culturas, etc.

Por outro lado, pode ser difícil explicar porque – dentre tantos projetos excelentes de software livre sendo conduzidos no mundo – um ou outro consegue “fisgar” o seu coração. Meu primeiro contato com o KDE foi nos idos de 1999-2000, ainda na versão 2, provavelmente com a distribuição Linux Conectiva, se não me falha a memória. Mais ou menos na mesma época, descobri o Qt e finalmente pude fazer aplicações gráficas “lindas de morrer” sem abrir mão da minha linguagem de programação preferida: o C++.

Mas foi somente a partir de 2008 que eu e Tomaz Canabrava estreitamos os laços com a pequena comunidade brasileira do KDE à epoca e, mais tarde, com a comunidade internacional. Mas isso é outra história, daria um livro inteiro talvez🙂. Neste pequeno texto, gostaria de focar nos motivos pelos quais nos tornamos apaixonados pelo KDE. Citarei alguns, mas gostaria de começar logo pelo mais importante de todos.

Pessoas !!! Sim, isso mesmo, pessoas. Que estranho primeiro motivo, principalmente para nós hackers – conhecidos geralmente por um alto potencial técnico e baixas habilidades sociais🙂. Comunidades de software livre já consolidadas, como o KDE e outras muitas, reconhecem que sem elas nada mais existiria nem faria sentido. E fazemos muita coisa para garantir um ambiente próspero e respeitoso, mas também com abertura para discussão de opiniões divergentes e reconhecimento da meritocracia obtida, por colaboradores, em anos de trabalho duro. Código de conduta, community working groups, discussões sempre públicas, o KDE Manifesto, são alguns dos instrumentos utilizados para a manutenção da nossa boa “atmosfera”.

Um dos meus “mantras” em sala de aula: “os melhores profissionais da Computação estão em projetos de software livre”. Se você for um aspirante a chef de cozinha, é como se você tivesse à disposição todas as receitas dos maiores chefs do mundo. E mais, você poderia discutir diretamente com ele ou contribuir para a elaboração de novas receitas. Você poderia trocar idéias com chefs de todo o mundo: India, Japão, EUA, Inglaterra … Não seria maravilhoso ?🙂 No KDE, você encontra um grupo vibrante de pessoas, felizes em desenvolver software de qualidade, de forma aberta, acessível a qualquer pessoa, de todo o mundo. E todos podem participar, independente da área de formação. Muitos membros do KDE são profissionais da Computação, mas outros são médicos, administradores, historiadores, economistas, designers, filósofos, … . Nós encontramos nosso lugar, é o tal do “sense of belonging🙂.

Segundo, seus limites técnicos e interpessoais serão continuamente ampliados. Qual sua referência profissional atualmente ? Quais suas metas e desejos ? Com software livre, nosso limite passar a ser O MUNDO. Assuma seu chapéu de “humilde aprendiz” e prepare-se para experimentar um salto técnico e interpessoal bastante considerável na sua carreira. Exponha-se, tenha seu trabalho revisado por gurus com décadas de experiência. Especialize-se e contribua para tornar aquele projeto ainda melhor. Mais pra frente, ajude os novatos e/ou seja contratado por uma excelente empresa ligada a software livre.

Terceiro, nós desenvolvemos soluções reais para problemas reais, presentes em todo o mundo, beneficiando milhões de usuários e contribuindo para a formação de milhares de jovens profissionais. Existe algo mais gratificante do que ver o fruto das suas contribuições tornando melhor a vida de pessoas em todo o mundo ? Nossas aplicações são utilizadas no ensino infantil em escolas públicas, em infocentros públicos de acesso à Internet, em projetos de instituições de pesquisa e em projetos de educação artística digital, só para citar alguns.

Gostou ?🙂 Se quiser ter uns hackers empolgados como amigos e ajudar nesse tão gratificante “trabalho”, junte-se a nós. No mínimo, você vai dar umas boas risadas🙂.

Aproveite a faça uma doação para a nossa campanha de arrecadação de fundos para o LaKademy 2015 – 3o. Encontro Latino-Americano dos Colaboradores do KDE. O LaKademy 2015 será realizado de 3 a 6 de junho, em Salvador-BA. O LaKademy é um dos momentos onde nos encontramos presencialmente para contribuir e discutir as ações que realizaremos para o KDE no Brasil e na América Latina.

[1] The Social Structure of Open Source Software Development Teams. Crowston & Howison. OASIS. 2003.

[2] Carrots and Rainbows: Motivation and Social Practice in Open Source Software Development. Krogh. 2012.


22:27, Wednesday, 06 May UTC

Fernando Boaglio (boaglio)

Krowdfunding para o LaKademy 2015

Você usa Linux com KDE ou talvez Kubuntu ?

kde590

Se sim, você é nosso feliz usuário e deve estar satisfeito com as constantes melhorias do ambiente desktop e tudo bonitinho em português, né ?

Pois é, não é pouco trabalho e nem muito trivial, mas com certa frequência o pessoal se encontra virtualmente e faz a coisa acontecer.

Mais com certeza com todos juntos numa mesma sala, a coisa rende mais… muuuito mais!

Infelizmente isso não sai de graça e precisamos de sua ajuda… contribua com o que puder, o projeto KDE agradece!

O LaKademy 2014 foi muito bom e rendeu bem, e precisamos de sua ajuda para que o de 2015 renda também!

PENSE O QUANTO VOCE DEIXOU DE GASTAR E AJUDE !!!!

Talvez você goste também de:

00:41, Wednesday, 06 May UTC

April 30, 2015

Aracele Torres (araceletorres)

Ajude uma comunidade de software livre, doe!

Se você sempre quis contribuir com alguma comunidade de software livre e nunca soube como, você pode começar colaborando financeiramente. Isso mesmo, as comunidades de software livre também precisam de dinheiro pra se sustentar, e não só do trabalho e da dedicação dos voluntários.

Esse ano, a comunidade de colaboradores do KDE na América Latina, da qual eu tenho orgulho de fazer parte🙂, está realizando uma campanha de arrecadação de fundos para que possamos realizar mais uma vez o nosso evento, o LaKademy.

Gostaríamos de pedir à todos vocês que colaborem e nos ajudem a reunir os colaboradores do KDE na América Latina, que trabalharão durante 4 dias para que os softwares que você usa fiquem ainda melhores❤

Por favor, contribua!🙂

Faça uma doação de qualquer valor: http://novo.vakinha.com.br/vaquinha/faca-acontecer-o-lakademy-2015

Nossa comunidade agradece!


00:08, Thursday, 30 April UTC

April 23, 2015

Filipe Saraiva (filipesaraiva)

Cantor no KDE Applications 15.04

Com o lançamento do KDE Applications 15.04, o segundo release no novo modelo de lançamentos de softwares desenvolvidos no KDE – agora o desktop, conjunto de aplicações, e frameworks tem cada um seu próprio ciclo de release -, o software para programação científica Cantor chegou com várias novidades. Esse lançamento me deixa particularmente feliz pois trabalhei bastante em algumas delas. =)

Vamos ver o que o Cantor tem de novo?

Cantor portado para Qt5/KF5

cantor-kf5

Cantor Qt5/KF5 – visual usando Breeze, o novo tema padrão do KDE. Na imagem é possível ver o terminal, painel de gerenciamento de variáveis, destaque de sintaxe, complementação de código, e botões da tela padrão.

Trabalho que comecei no LaKademy do ano passado e fui desenvolvendo desde aquela data. Devo ter feito commits partindo de uns 5 países diferentes durante esse tempo.

A transição para essa nova tecnologia foi realizada com sucesso e até o momento não notamos nenhuma funcionalidade perdida ou bug crítico introduzido. Todos os backends e plugins foram portados, e alguns bugs que surgiram durante o port foram corrigidos.

Evidente que isso não garante que o software esteja livre de erros, portanto pedimos aos utilizadores que reportem quaisquer problemas no nosso gerenciador de bugs. De qualquer forma, o software está bastante estável.

Usuários do Cantor da versão Qt4 terão suas configurações migradas para o novo formato utilizado na versão Qt5/KF5 automagicamente após a primeira inicialização.

Backend para Python 3

Durante o Season of KDE 2014 orientei o colaborador Minh Ngo no projeto de desenvolvimento do backend para Python 3, fazendo com que o Cantor atingisse a marca de 10 backends diferentes!

cantor-backends

Tela de seleção de backend: Python 3 e seus outros nove irmãos

O backend de Minh utiliza comunicação via D-Bus para ligar o Cantor ao Python 3, uma arquitetura diferente da utilizada no Python 2 mas que já foi utilizada em outros backends, como no R.

O bacana é que agora o Cantor pode agradar tanto os pythonistas que usam Python 2 quanto os que já utilizam Python 3. Esperamos receber o feedback de vocês!

Ícone!

Cantor foi lançado originalmente em 2009, no agora velhinho KDE SC 4.4. Desde aquela época ele nunca teve um ícone próprio.

O lançamento da versão Qt5/KF5, que marca uma mudança substancial no desenvolvimento da aplicação, é um bom momento para também lançar um ícone próprio para o software, dando uma cara para ele.

Ícone do Cantor

Ícone do Cantor

E o resultado ficou excelente! Mostra bem a ideia do Cantor: um quadro negro para você ficar desenvolvendo seus cálculos enquanto coça a cabeça e pensa “e agora, daqui vai para onde?”. =)

Obrigado a Andreas Kainz e Uri Herrera, membros do VDG que desenvolveram o ícone!

Outras alterações e bugs corrigidos

Boa parte dos bugs introduzidos durante o processo de porting pro Qt5/KF5 foram corrigidos antes do release.

Há também algumas alterações menores que merecem ser citadas, como a mudança da categoria KNewStuff de “Python2” para “Python 2” e a adição da categoria “Python 3”; remoção do carregamento automático do módulo pylab; agora é possível executar comandos do Python com comentários; entre outras.

Para o log completo dos commits incluídos nesta versão, veja esta página.

Futuro

Para o futuro talvez o plano de maior prioridade seja remover a KDELibs4Support do Cantor. O Lucas já fez parte desse trabalho, e esperamos finalizá-lo para o próximo release.

Eu pretendo dar uma olhada na comunicação via D-Bus e verificar se ela seria uma boa saída para o backend do Scilab. Outra tarefa também programada é a reorganização dos assistentes para geração de gráficos nos backends do Python. E um objetivo de longo prazo é acompanhar a criação do projeto Jupyter, que será o futuro do IPython notebooks – tornar o Cantor compatível com o Jupyter pode ser uma boa forma de aumentar o número de potenciais usuários do software, além de fomentar a colaboração entre diferentes comunidades com interesse em programação científica.

Também irei aproveitar o lançamento dessa versão e escrever sobre duas formas de utilizar o Cantor – estilo terminal como o Matlab; e estilo notebooks, como o IPython. Aguardem!

Se você gostaria de auxiliar no desenvolvimento do Cantor, entre em contato para conversarmos sobre resoluções de bugs, desenvolvimento de novas funcionalidades, e mais. Ou contribua com a vakinha do KDE Brasil para realização do LaKademy 2015. Minha participação no evento será bastante focada no desenvolvimento do software, principalmente nos objetivos que listei acima.

13:21, Thursday, 23 April UTC

March 26, 2015

Filipe Saraiva (filipesaraiva)

Ubuntu: traidor do movimento ou de (ingênuas) expectativas?

Capa do Ubuntu 4.10 Warty Warthog – primeira versão da distro

Quem acompanha a comunidade software livre brasileira deve estar a par das recentes discussões sobre o pedido para não recomendação e não instalação do Ubuntu no FLISOL, Festival Latino-Americano de Instalação de Software Livre, evento em rede voltado para instalar distros GNU/Linux e outros softwares livres. As discussões começaram a partir de um abaixo-assinado lançado pelo Anahuac, continuaram na lista PSL-Brasil e FLISOL, e culminaram com a recomendação do coordenador brasileiro do evento, Thiago Paixão, para que os grupos brasileiros boicotem o Ubuntu – um eco um tanto tardio de um pedido que o Stallman fez em 2013.

Antes de partir para o texto em si cabe duas declarações para contextualizar os leitores sobre os posicionamentos do autor: 1) Não uso Ubuntu e nem tenho qualquer relação com a Canonical. Minha história com essa distro durou apenas 3 semanas no ano de 2006 – voltei pro Kurumin porque não gostei do Gnome (desculpem amigos Gnomos :)); 2) De fato o spyware que o Ubuntu instala por padrão nos computadores do usuário é algo sim muito nocivo, e apenas esse motivo justificaria o pedido de não recomendação do sistema em qualquer roda de ativistas de software livre.

Isso exposto me preocupa muito o andamento que as discussões tomaram, principalmente os argumentos que apontam o Ubuntu como uma distro que não é software livre. Esses argumentos no geral se embasam em duas premissas: os blobs binários e o fato da Canonical ter “virado as costas pra comunidade”, ou algo do gênero.

Sobre a questão dos blobs binários infelizmente isso é um problema que os desenvolvedores do kernel Linux e, por extensão, as principais distros, se defrontam. Muitos fabricantes de hardware só disponibilizam os drivers para Linux num formato binário, sem código-fonte. Os desenvolvedores do Linux tiveram que escolher: é melhor suportar o hardware com software privativo ou não suportar o hardware? Eles escolheram a primeira opção e isso acabou desembarcando nas distros em geral.

Portanto, blobs binários são entregues com todas as distros mais conhecidas. Não é exclusividade do Ubuntu: o Debian tem, o Fedora, OpenMandriva, Mageia, OpenSUSE, Chakra, Arch, e muitas outras. A FSF mantém uma página explicando isso, e por esse motivo recomenda apenas a instalação de distros que eliminaram esses blobs, como o Trisquel.

Mas aí a questão que os desenvolvedores do kernel se perguntaram continua, e para mim ela é bastante complexa: é melhor instalar os blobs e ter o hardware funcionando ou ficar sem poder utilizar esse hardware? Claro que é melhor hardware que funciona com driver livre, mas as vezes o usuário não tem acesso a esse tipo de dispositivo. Para mim é melhor ter um sistema operacional 90% livre do que entregar um pen drive com alguma distro recomendada pela FSF para um usuário com hardware não suportado e dizer “da próxima vez traga um computador que não precise de blobs pra funcionar corretamente”, como chegaram a propor.

Mas voltando ao tema, por que apenas o Ubuntu será condenado por uma prática comum às demais distros?

O segundo ponto seria a Canonical destratar a sua comunidade. Nos últimos anos temos visto um movimento forte da empresa em dar foco ao Ubuntu e implementar uma certa visão ao sistema operacional que o tornaria compatível com smartphones, televisões, tablets e outras mais. Nesse sentido vimos a Canonical tirando suporte (e por consequência demitindo funcionários) de diversos remixes do Ubuntu mantidos oficialmente por ela, como o Kubuntu, Xubuntu e Edubuntu; a criação de um ambiente desktop próprio, o Unity, após o pessoal do Gnome não ter se mostrado muito receptivo às modificações que a companhia gostaria de ver; a criação de um servidor gráfico próprio, o Mir, que foi anunciado com muitas críticas – equivocadas – ao servidor que demais comunidades e empresas estão desenvolvendo, o Wayland; entre outras.

Todas essas medidas deixaram insatisfeitos parte da comunidade Ubuntu, em especial o pessoal mais velho que viu a distro crescer desde o começo; entretanto, estas iniciativas parecem não ter afetado uma certa base de usuários mais jovem. De qualquer forma, o ponto aqui é que todas as medidas relacionadas a software que a Canonical tomou são software livre. O código está disponível, tanto do Unity quanto do Mir, e é até irônico que as principais licenças que utilizam seja a versão 3 da GPL e LGPL.

É importante que saibamos separar nossas expectativas, gostos e frustrações daquilo que se espera de um movimento. Infelizmente (e coloco um infelizmente sem ironia), Stallman nunca colocou que o software livre seria um movimento antiempresarial. Para ele, software livre é sobre respeito ao usuário, que este tenha os meios de entender o que está acontecendo na sua máquina, e que não seja controlado por ela. Não é sobre julgamentos morais se uma empresa baseada em software livre agiu certo ou errado quando tomou tal direcionamento, a despeito ou não de sua comunidade.

O Ubuntu sempre foi uma distro com uma empresa por trás – a Canonical. Não há porque se frustrar quando a empresa *dona* do projeto resolve dar direcionamento diferente do que os usuários desejavam. Empresas fazem isso. Parece que o pessoal levou a sério demais o slogan Linux for human beings. É muito comum vermos empresas adotarem a prática dos slogans bonitinhos, mas só ingenuidade para acreditar que uma empresa é realmente aquilo que a propaganda dela apresenta. É como pensar que o Pão de Açúcar realmente se importa com você quando pergunta “o que faz você feliz?”; ou que o McDonald’s é aquela tia distante que recebe uma visita surpresa sua e fala, maternal, “que bom que você veio”. Ou que para a Coca-Cola não importa que você tome mais e mais a água-com-gás-açúcar-e-toxinas deles, mas sim que você “abra a felicidade”.

Qual a solução para isso? Contribua com distros realmente comunitárias. Estive na mesa crossdistro no FISL15 como membro da comunidade Mageia e comentei sobre isso. Não critico quem contribui com distros gerenciadas por empresas, cada um faz o que quer, mas eu não faço isso. Por esse motivo, quando o Mageia nasceu como uma distro comunitária a partir do fork do Mandriva, pulei junto com o grupo (e também porque havia um certo ar de “fábrica ocupada” no Mageia que dava um charme adicional ao projeto e foi fundamental para eu decidir seguir com eles =)). Em distros comunitárias há transparência e regras de governança estabelecidas que permitem que quem de fato dita as regras da distro é sua comunidade, e não o gerente de projetos de uma empresa qualquer. Há várias distros assim, como o Debian, exemplo mais famoso. Só seguir em frente e trabalhar para um projeto que você realmente se reconheça nele.

Pensando o software livre em termos de projeto, temos que entender que software livre se relaciona ao código, não ao gerenciamento.

Sobre o Ubuntu, espero que a Canonical realmente cumpra a promessa de remover o spyware na próxima versão da distro, 15.04, que deve sair 2 dias antes do FLISOL (!!!). Para mim, quando isso acontecer, a distro voltará a ser como outra distro qualquer, com seu gerenciamento próprio, suas metodologias, comunidade e etc, mas acima de tudo escrevendo código utilizando licenças livres e lançando software que respeita seus usuários.

Sobre a comunidade de software livre, espero que possamos perceber que não há um problema específico do Ubuntu aqui, e que então sigamos em frente nos focando em alguma das outras intricadas questões que a sociedade nos coloca dia após dia.

Filipe Saraiva é desenvolvedor na comunidade KDE e empacotador na comunidade Mageia

 

00:37, Thursday, 26 March UTC

September 01, 2014

Rafael Gomes (gomex)

KDE Connect, usando seu celular como controle remoto do PC

KDE Connect é um projeto que tem objetivo comunicar o KDE com seu celular.

Com o KDE Connect hoje é possível fazer várias coisas interessantes:

  • Enviar e receber arquivos do seu celular
  • Notifica no seu KDE quando recebe ligação e mensagem SMS no celular
  • Informa no seu KDE a carga atual da sua bateria do celular
  • Navega nos arquivos do seu celular via KDE
  • Pausa o som do seu KDE quando recebe ligação
  • Controle multimídia do KDE a partir do celular
  • Controle do ponteiro do mouse no KDE a partir do KDE

Para usar é muito fácil, basta instalar um aplicativo em seu KDE e outro no celular.

No seu KDE, caso utilize debian, pode instalar com o seguinte comando:

# aptitude install kdeconnect

Obs: Infelizmente o debian, mesmo a versão unstable, não tem a versão mais nova do kdeconnect.

Caso queira instalar a versão mais nova do KDE Connect, siga os passos abaixo:


# aptitude install kde-workspace-dev libqca2-dev libqjson-dev libxtst-dev libfakekey-dev git
# git clone git://anongit.kde.org/kdeconnect-kde
# cd kdeconnect-kde
# mkdir build
# cd build
# cmake .. -DCMAKE_INSTALL_PREFIX=/usr -DQT_QMAKE_EXECUTABLE=/usr/bin/qmake-qt4

# make
# sudo make install

Depois de instalado, ele aparecerá em seu gerenciador do KDE

system_settings

Para instalar a versão android do KDE Connect no seu celular basta procurar no seu google play o KDE Connect e instalar, da mesma forma como faz para todos outros aplicativos do android.

O KDE Connect se conecta de forma bem simples, basta que os dois dispositivos estejam na mesma rede WiFi.

Obs: Infelizmente ele ainda não tem suporte a conexão via bluetooth.

Quando um celular que tem o aplicativo KDE Connect acessar uma rede, ele envia um broadcast para buscar dispositivos com KDE Connect instalado no KDE. Uma vez encontrado, o KDE interage automaticamente com o dispositivo apenas para coletar informações de acesso, ou seja, os dispositivos não se conectam automaticamente.

mobile_hostname

Lista de dispositivos com KDE Connect na mesma rede

Uma vez encontrado o aparelho desejado para conexão, é necessário efetuar uma liberação em ambos dispositivos.

mobile_pairing_request

O celular pode solicitar pareamento com o KDE

Uma vez recebido a solicitação de pareamento, o KDE pode ou não autorizar a conexão.

desktop_pairing

Aparecerá uma notificação em seu KDE

O inicio dessa conexão pode ser em sentido contrário, ou seja, o KDE lista os celulares com KDE Connect instalado e solicitar pareamento, sendo assim você precisará confirmar em seu telefone.

Como foi dito em seu blog (Inglês), o criador da ferramenta utiliza criptografia para assegurar a segurança da comunicação. Eu ainda não fui a fundo na analise dessa questão, mas como as funções são simples e bem reguladas, não vejo problema do seu uso com cautela até então.

Pronto! Agora poderá otimizar a comunicação entre seu celular e estação com KDE.

plasmoid desktop_send_file mobile_touchpad

Obs: Todas as fotos foram retiradas do site do Ronny, que é um dos desenvolvedores do KDE Connect.

Fontes :

http://albertvaka.wordpress.com/

https://ronnyml.wordpress.com/2014/08/21/kde-connect-connecting-your-devices-to-kde/

13:15, Monday, 01 September UTC

August 29, 2014

Rafael Gomes (gomex)

GoldenDict, a definição e tradução de verbetes em uma tecla de atalho

Quem nunca precisou de um programa pra agilizar pesquisas de significados das palavras, definição no Wikipédia, tradução e afins, tudo com teclas de atalho, sem precisar acessar outros aplicativos ou sites web?

A primeira vista, pode parecer algo bobo e desnecessário, mas quando está lendo um texto longo, parar tudo para acessar um dicionário externo geralmente é uma perda de tempo, que pode atrapalhar seu entendimento sobre o assunto.

Para resolver esse problema, temos o GoldenDict, que é um aplicativo feito em QT. Bem simples, direto e extensível, pois aceita adição de diversos dicionários.

Usando o GoldenDict

Pra usar o GoldenDict é bastante simples, basta selecionar a palavra e digitar o atalho “Ctrl+c” duas vezes seguidas. Com isso aparecerá uma tela com informação disponível em todos dicionários configurados.

Para instalar no Debian ou Ubuntu, é muito simples, basta digitar o comando abaixo:

# apt-get install goldendict -y

No debian ele acompanha por padrão apenas o Wikipédia, sendo assim vamos facilitar seu trabalho com instalação de novos dicionários. Baixe esse arquivo e descompacte em uma pasta.

Obs: Alguns dos arquivos dessa base de dados são proprietários, infelizmente.

goldendict1Acesse o aplicativo goldendict via ícone, acesse o menu “Editar” e escolha a opção “Dicionários”.

 

goldendict2Escolha as abas “Fontes” e “Arquivos”. Em seguida clique no ícone “Adicionar…” escolha sua pasta que acabou de descompactar.

 

goldendict3

Por fim marque a opção “Buscar em subpastas” e clique no botão “Ok”.

Se você deseja colaborar, basta comprar a versão para android desse software, que é paga. Essa versão android serve como método de financiamento para o projeto GoldenDict. Custa menos de R$ 12,00.

 

18:19, Friday, 29 August UTC


Older blog entries